Novidades do Museu

"Alma Azulejada: Cosme Martins 40 Anos"

Um dos cartões postais do Maranhão é o belo conjunto de azulejos dos prédios centenário da capital,  São Luis.  E é este imaginário que inspira, em parte, a exposição do artista Cosme Martins, a partir de 30 de outubro, no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram/MinC.

A mostra “Alma Azulejada – Cosme Martins 40 anos” reúne 12 quadros em acrílica sobre tela da fase figurativa e também da sua atual fase abstrata.  Os trabalhos apresentam uma explosão de pigmentos multicoloridos que fazem brotar de suas telas a alma azulejada do pintor, alternando as cores inquietas da poesia com jardins abstratos, onde semeamos a flor misteriosa dos nossos desejos.

O poeta Carlos Dimuro, curador da exposição, assim define a obra de Cosme Martins:  “azulejar nossos olhos com beleza e imaginação é o labor incansável deste maranhense do mundo”.

COSME MARTINS Triptico 2

Biografia: 

Maranhense de São Bento, nascido em 1959, Cosme iniciou sua carreira, pintando temas figurativos locais. Na década de 80, mudou-se para o Rio de Janeiro com o objetivo de expandir o reconhecimento de sua arte.

Obteve orientação de grandes artistas Rubens Gerchman, Luiz Áquila, Aluísio Carvão, Kate Van Scherpenberg e José Maria Dias da Cruz. Estas vivencias com alguns dos grandes nomes da arte brasileira favoreceram a obtenção de prêmios e participações em salões e importantes museus de arte como Museu Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro e Museu de Arte Moderna de São Paulo.

No desenvolvimento de sua obra, Cosme Martins adquiriu reconhecimento, e interferências de críticos notáveis.  Walmir Ayala, por exemplo, afirmou que sua maneira de pintar era a “nova escrita”. 

Outro crítico importante, Roberto Pontual, abriu ao artista as primeiras portas para o mercado de arte. Hospedou Cosme Martins em Paris, cidade que o recebeu como vencedor do Prêmio Viagem através da participação na exposição A “Mão Afro Brasileira em Pintura”.

Nessa viagem, Cosme Martins pôde conhecer nomes como Cícero Dias,  Manabu Mabe e ainda reencontrar Rubens Gerchman, que lhe deu aulas e foi o primeiro a lhe dizer, anos antes, que sua arte poderia alcançar projeção nacional .

Na fase conhecida como “Favelas”,  observa-se nos trabalhos de Cosme a transição entre o figurativo e o abstrato: elementos como barracos e pessoas foram se tornando cada vez menos óbvios, até a pintura alcançar a total ausência da figura como podemos perceber nos seus trabalhos atuais.

Suas telas apresentam texturas, em terracota, que são construídas com uma técnica que o artista não revela, porem capaz de manter a firmeza e evitar os craquelês.

Outro elemento nos trabalhos de Cosme Martins, a variedade de cores é movida pela sensibilidade do artista que confessa não conseguir chegar a um limite até que sua agonia seja substituída pela sensação de prazer ao terminar suas telas.

Serviço

Exposição Alma Azulejada – Cosme Martins 40 anos

Período: 30 de outubro até 2 de dezembro

Visitação: Terça a sexta: das 10h às 18h. Sábados, domingos e feriado: das 13h às 18h.

Ingressos: R$ 8,00 inteira, R$ 4,00 meia e ingresso família (para até 4 membros de uma mesma família) a R$ 8,00. Grátis aos domingos. 

Museu Nacional de Belas Artes/Ibram/MinC: Avenida Rio Branco, 199 – Cinelândia

Visite a nossa fanpage: www.facebook.com/MNBARio

Obras em Destaque

Partícula

Partícula

Artur Luiz Piza buril, 22,8 x 22,8 cm (área impressa); 50 x 40 cm (suporte) , 1951 / 1960 assinada Piza doação,
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
  • 32
  • 33
  • 34
  • 35
  • 36
  • 37
  • 38
  • 39
  • 40
  • 41
  • 42
  • 43
  • 44
  • 45
  • 46
  • 47
  • 48
  • 49
  • 50
  • 51
  • 52
  • 53
  • 54
  • 55
  • 56
  • 57
  • 58
  • 59
  • 60
  • 61
  • 62
  • 63
  • 64
  • 65
  • 66
  • 67
  • 68
  • 69
  • 70
  • 71
  • 72
  • 73
  • 74
  • 75
  • 76
  • 77
  • 78
  • 79
  • 80
  • 81
  • 82
  • 83
  • 84
  • 85
  • 86
  • 87
  • 88
  • 89
  • 90
  • 91
  • 92
  • 93
  • 94
  • 95
  • 96
  • 97
  • 98
  • 99
  • 100
  • 101
  • 102
  • 103
  • 104
  • 105
  • 106
  • 107
  • 108
  • 109
  • 110
  • 111
  • 112
  • 113
  • 114
  • 115
  • 116
  • 117
  • 118
  • 119