Usamos cookies neste website para que você possa ter a melhor experiência. Ao continuar a utilizar este site, entendemos que está ciente disso.

Novidades do Museu

Um dos mais reconhecidos pintores brasileiros e considerado um dos mentores da chamada ‘Geração 80”, Luiz Aquila apresenta produção inédita de trabalhos na exposição “Luiz Aquila III Milênio - criação em aberto”.

Inaugurando no dia 31 de agosto, sábado,  às 14h, no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram, a mostra “Luiz Aquila III Milênio - criação em aberto” reúne 30 pinturas, que contam com a liberdade criativa do artista para articular cores e contrastes, através de planos e pinceladas presentes e expressivas com dimensões que vão de 70x90cm até 210x140cm.

O poema “A lição de pintura”, de João Cabral de Melo Neto, traduz a essência desta exposição, que acontece na Sala Bernardelli do MNBA, exibindo obras inéditas realizadas entre 2009 e 2019:  “Quadro nenhum está acabado/ disse certo pintor;/ se pode sem fim continuá-lo,/ primeiro, ao além do quadro/ que, feito a partir de tal forma,/ tem na tela, oculta, uma porta/ que dá a um corredor/ que leva a outra e a muitas outras”.

Abordando a obra de Luiz Aquila,  o crítico e historiador Frederico Morais  elucida, em parte, a escolha do nome da mostra: “Aquila procura manter seu processo de criação em aberto, sujeito a alterações, o quadro fluente, em andamento. O quadro vai nascendo ali, no corpo-a-corpo com a matéria com que constrói sua pintura, num diálogo ativo e inteligente".

Dentro da exposição, uma das paredes foi reservada para a exibição do filme-documentário “Aquila, Luiz”, dirigido por Luiz Carlos Lacerda, que afirma: “O que mais me chamou atenção durante as filmagens foi o extremo compromisso com a liberdade de criação. É uma relação impulsiva, ele entra num transe e fica obnubilado pela expressão” .

Intercalando com a exposição,  até o dia 1º de dezembro haverá uma programação variada de atividades, com visitas comentadas pelo artista e palestras com alguns convidados especiais.

Certa vez, o curador Lauro Cavalcanti afirmou que a produção de Aquila seria uma pintura “em permanente construção”. Um dos destaques da mostra, a série de quatro telas ‘Mergulhos no Azul’ confirma esta fala, onde a cor é usada como assunto e a partir dela ocorrem improvisos cromáticos. 

Impactante, a composição de sete telas originadas da pintura-instalação do MAM-SP, em 2013, está sendo exibida no Rio pela primeira vez. As pinturas dinâmicas e gráficas medem 210x140cm cada uma, e ganham uma dimensão monumental capaz de transportar o espectador para dentro da atmosfera do artista, que aqui utilizou técnica mista de acrílica e eventual uso de colagens.

A pintura e o nome azul 2009 de Luiz quila

A pintura e o nome azul, 2009, de Luiz Áquila

 

Biografia do artista

Carioca, nascido em 27 de fevereiro de 1943, Luiz Aquila produz pintura, desenho e gravura. Também foi professor e diretor da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, onde exerceu grande influência sobre a Nova Pintura Brasileira, Geração 80. Iniciou-se nas artes através de seu pai, o artista plástico e arquiteto Alcides da Rocha Miranda.

Foi aluno de mestres como Aluísio Carvão, em pintura, no MAM-RJ, e de xilogravura de Oswaldo Goeldi na Escola Nacional de Belas Artes. Frequentou cursos livres na Universidade de Brasília (UnB), foi bolsista do Governo Francês em Paris, do British Council em Londres, e da Fundação Gubekian em Lisboa e Évora.

Ao longo da carreira, Aquila participou de mais de 200 exposições (individuais e coletivas) no Brasil e no exterior, e foi chamado pelo crítico Frederico Morais de “herói de sua própria pintura”. Participou da 17ª, 18ª e 20ª Bienal Internacional de São Paulo em 1983, 1985 e 1989, respectivamente e também da Bienal de Veneza. Em 1988, transferiu-se para Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro. Em 1992, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM-RJ) e, em 1993, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) realizaram mostras retrospectivas de seu trabalho. Em 2003, exposição individual no Museu de Arte Contemporânea (MAC-Niterói).  Em 2013, com uma retrospectiva na Paço Imperial, o artista comemorou cinco décadas de alentada trajetória.

 

Serviço:

 Exposição “LUIZ AQUILA III MILÊNIO - criação em aberto”

Abertura: dia 31 de agosto, sábado, das 14h às 18h.

Período: de 1º de setembro a 1º de dezembro de 2019

Local:  Museu Nacional de Belas Artes – Avenida Rio Branco, 199 - Cinelândia

Visitação: de terça a sexta, das 10h às 18h, sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h

Ingressos: R$ 8,00 inteira, R$ 4,00 meia e ingresso família (para até 4 membros de uma mesma família) a R$ 8,00. Grátis aos domingos.

Tel: (21) 3299-0600

Venda de ingressos e entrada de visitantes até 30 minutos antes do fechamento do museu. Entrada gratuita aos domingos.

 

Facebook: https://www.facebook.com/MNBARio

Instagram: https://www.instagram.com/mnbario/

Canal do MNBA no Youtube:  MNBARio

 

Eventos do MNBA

  • 23 Out - 23 Out
  • 23 Out - 23 Out
  • 23 Out - 24 Out

Obras em Destaque

Devotionalia

Devotionalia

Maurício Dias e Walter Riedweg gesso, cera, x cm, 1994 sem assinatura doação, 2007, Dias&Riedweg  
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
  • 32
  • 33
  • 34
  • 35
  • 36
  • 37
  • 38
  • 39
  • 40
  • 41
  • 42
  • 43
  • 44
  • 45
  • 46
  • 47
  • 48
  • 49
  • 50
  • 51
  • 52
  • 53
  • 54
  • 55
  • 56
  • 57
  • 58
  • 59
  • 60
  • 61
  • 62
  • 63
  • 64
  • 65
  • 66
  • 67
  • 68
  • 69
  • 70
  • 71
  • 72
  • 73
  • 74
  • 75
  • 76
  • 77
  • 78
  • 79
  • 80
  • 81
  • 82
  • 83
  • 84
  • 85
  • 86
  • 87
  • 88
  • 89
  • 90
  • 91
  • 92
  • 93
  • 94
  • 95
  • 96
  • 97
  • 98
  • 99
  • 100
  • 101
  • 102
  • 103
  • 104
  • 105
  • 106
  • 107
  • 108
  • 109
  • 110
  • 111
  • 112
  • 113
  • 114
  • 115
  • 116
  • 117
  • 118
  • 119